terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Curau de Milho Verde



A maioria das minhas boas lembranças inevitavelmente passam por momentos onde envolvem refeições. Quando penso na minha infância, lembranças dos momentos onde cozinhava com minha mãe sempre são as mais presentes. Na adolescência, não foi diferente, mudar para Brasília e conhecer novos ingredientes e restaurantes começaram a despontar uma paixão que até então estaria adormecida. E já na vida adulta, a busca pelo conhecimento, novos sabores, culturas, técnicas e claro, bons momentos a mesa e a deliciosa experiência de receber em casa para uma boa conversa e boa comida, sempre deixa uma intensa e satisfatória lembrança de cada encontro. 

Bom, voltando a infância, um dos momentos que mais me recordo e sinto saudade eram os fins de semana onde a família se reunia para fazer pamonha e derivados. Tão logo a encomenda de milho chegasse em casa, minha mãe distribuia as tarefas e cada uma se empenhava em fazer sua parte com esmero, atenção e claro, muito carinho! Claro que a brincadeira não ficava apenas em fazer pamonha, minha mãe também preparava curau de milho. Uma perfeição em forma de creme de milho, se me permitem completar. 

E foi assim, pensando em como sinto saudades de alguns momentos que a vontade de comer curau veio e chamei minha mãe para vir aqui em casa para um almoço e me fazer curau. Tá que eu podia ter pedido a receita e fazer sozinha, né? Mas é diferente, quando é da mãe parece que é melhor...pelo menos para mim foi assim!
A receita é bem simples e muito rápida também. Minha maior dificuldade aqui é quantificar os ingredientes para vocês, por que receita de mãe é aquela coisa...sem medida, mas com imenso sabor, né?

O resultado final foi bem aquele que me recordava, mas a melhor parte foi sentir os aromas e relembrar tais momentos que foram tão importantes para mim.

E vocês, tem algum sabor de infância?

Beijos e boa terça-feira!



Tempo de preparo: 25 minutos
Rendimento: 4 porções

Ingredientes

5 espigas de milho
1 e 2/3 xícara de leite
1/2 xícara de açúcar

Canela para polvilhar

Modo de preparo

1. Tire as sementes do milho da espiga. Bata no liquidificar junto com o leite, coe e transfira para uma panela com fundo triplo. Leve a panela ao fogo baixo e cozinhe, mexendo constantemente, até que engrosse e fique com a consistência de um creme mais espesso. Transfira para os recipientes que for servir e polvilhe com canela.

Pode ser servido morno ou frio. Eu gosto dele geladinho...

E como diria a Joyce Galvão: Para a cozinha e já! :)



Print Friendly and PDF

10 comentários:

  1. Querida, acho que ainda não te desejei um Feliz 2012. Que seja um ano mágico para vc e todos as pessoas queridas!
    Sei muito mem dessas sensações as cozinhar, me identifico muito com seu texto. Muito sensível e acolhedor, como sempre, por sinal.
    Curau é uma sobremesa que também me lembra infância, coisas gostosas de reviver.
    Mas vim aqui pra pegar outra receita sua pra fazer no fim de semana (depois te conto...rsrs)

    Minha flor, um grande beijo e boa semana

    ResponderExcluir
  2. É bem verdade que muitas lembranças passam por aromas e sabores na infância...e são deliciosas!
    Tbm comia muito curau quando criança e o da minha mãe era o mais gostoso, claro!rs...e sempre com canela!!
    Bj...

    ResponderExcluir
  3. Stefânia, adorei a receitinha! Meu pai adora curau de milho, mas confesso que nunca fiz e nem tinha muita ideia de como fazer (não sabia que era tão simples!). Vou fazer para ele, tenho certeza que vai adorar!

    beijos!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com vc, sabor de infância não tem igual. Quero aproveitar para dizer que adoro suas receitas, suas fotos são muuito inspiradoras.Comecei o meu blog recentemente, e adoraria receber sua visita ,qdo puder de uma passadinha por lá.
    Um beijo com carinho!
    Sandra Nunes
    http://www.farinhanacozinha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Stef, adorei...eu tenho vários sabores de infância como torta de banana, queijadinha e outros, vou já fazer esse cural, que na minha terra se chama canjica, e a canjica daqui, lá se chama mugunzá,outro sabor de infância...bjos

    ResponderExcluir
  6. oi sté! lembra que te disse que ia passear pela cozinha com umas receitinhas suas em janeiro? a primeira foi sua receita de gnocchi, que foi minha estréia nesse prato. ficou muito bom, mas percebi um leve gostinho de farinha por tras da massa... tem jeito de melhorar? outra dúvida, como vc faz o congelamento, com os gnocchi já cortados?

    bjs!

    ResponderExcluir
  7. OI Karla,
    Tudo bem Querida?

    Então, o segredo do gnocchi é não amassar muito...pq a batata começa a soltar mais amido e precisa de mais farinha. A idéia é usar mais ou menos 30% de farinha para 70% de purê de batatas, por exemplo, 300g de farinha para 700g de purê. O purê fica melhor se for feito com antecedência e com batatas que não soltem muita água...das que fiz a melhor foi a Asterix. As batatas devem ser amassadas na mão, nunca passando pelo processador ou liquidificador, ok?

    Para congelar eu coloco em uma forma e levo ao freezer. Quando congelar eu separo em saquinhos (porções individuais) e sempre que preciso, já tiro do congelador e levo direto para a água fervente.

    Espero ter ajudado.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. oi sté, então, aqui em recife não se tem ofertas de diferentes tipos de batatas =( a textura dele ficou muito boa, do jeitinho que você descreveu, mas realmente eu poderia ter parado antes dos 300g (fiz 1kg de purê).

    a próxima é a panna cotta!

    bjs e obrigada pela atenção!

    ResponderExcluir
  9. Oi Stefânia, relembrar bons momentos é muito e ainda mais com uma receita tão saborosa.
    Adoro Curau de Milho!
    Estou gostando muito dessa blogagem coletiva.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...